quinta-feira, 31 de maio de 2012

CELPA CORTA ENERGIA DA TIM E POPULAÇÃO DE AVEIRO FICA SEM TELEFONIA CELULAR



QUE BONITINHOS,  SEM ÁREA DE SERVIÇO.
Ninguém sabe por que a ANATEL ainda não tomou nenhuma providência com relação ao péssimo atendimento dos serviços de telefonia celular da Empresa TIM.
Que ultimamente estão gozando de “tingana”, pois, quando nem se percebe os consumidores fica sem utilizar seus celulares em virtude do sistema sair do ar.
Essas reclamações são quase todos os locais que existem os serviços dessa operadora. Aqui em Aveiro, estamos enfrentando um grande problema dessa vez todos estão sem os serviços da TIM, porque simplesmente a Celpa Centrais Elétricas do Pará, cortou a energia do prédio da TIM.
Ninguém sabe de quem é a responsabilidade do pagamento do talão de energia da empresa de telefonia TIM, se é a prefeitura como se comenta ou é a própria TIM. O que se sabe é que todos os consumidores amanheceram sem os serviços de área em seus celulares.  Pior  que muitas das vezes o consumidor está falando ao telefone der repente cai a ligação,se quiser torna ligar novamente e perde mais R$ 0,25 centavos.
Resumido o que se poderia falar com R$ 0,25 dia todo, nunca se pode porque cai a ligação de vez enquanto. Então, porque não se fala a verdade para consumidor.A empresa ANATEL, poderia fazer a empresa de telefonia TIM devolver o valor da ligação que não foi desligada pelo cliente e sim por fantasmas. Queiram ou não, quem perde é consumidor e quem ganha é a empresa que nunca perde.
Quem poderá responder essa pergunta. Quem paga a energia da TIM?  A prefeitura ou a TIM!  Deus será por nos! 
Por: Costa.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

COMUNITÁRIOS AINDA RESISTEM A ENCHENTE DO RIO TAPAJÓS.


ANTIGA ESTAÇÃO DE RECOLHIMENTO DO LEITE.
COMUNIDADE DE URICURITUBA
CAZINHA DO TRAPICHE DE FORDLÂNDIA.




COMUNIDADE DE VISTA ALEGRE



COMUNIDADE DE CAMPO ALEGRE
 
COMUNIDADE DE RIBEIRINHA
ESCOLA DE CAMPO ALEGRE

PECAÇU
ESCOLA DE SAMAUMA DE CIMA
COMUNIDADE DE SÃO RAIMUNDO
 Pode até não está registrado pela Defesa Civil do Estado, mais, já podemos considerar uma das maiores enchentes dos últimos tempos. O que mostra a realidade por onde a nossa reportagem passou.

Alguns moradores ainda resistem em suas casas porque não terem para a onde morar, mais que a vontade é grande. O que pega é a falta de apoio para essas famílias que vivem no alagado, ouvindo alguns desses moradores eles não recebem o hipoclorito para colocar na água, visitas medicas e outros tipos de ajudas.
Das comunidades por onde a reportagem passou, podemos perceber as dificuldades que crianças e adultos sentem na hora de se deslocar em cima de tabuas e pinguelas e até para suas necessidades básicas diárias é difícil, porque todos se servem da água do rio, que por outro lado é contaminada.
O Governo Estadual poderia ver a situação desse povo, ajudando conforme as necessidades, com água mineral, remédios, visitas de médicos nestas comunidades alagadas em fim o que o povo merece diante dos problemas das enchentes.   
Para finalizar os trapiches de embarque e desembarque de passageiros estão dentro d,água ficando dificultoso para as embarcações atracar como também para os passageiros embarcar e desembarcar. A onde eu encontrei a balsa do município ancorada próximo antiga estação de recolhimento de lei de fordlândia.         

terça-feira, 15 de maio de 2012

APROVADO A MP Nº 558 QUE INCLUI A LIBERDADE DO POVO DE AVEIRO DA FLONA.


AUTOR MP ZÉ GERALDO ,LIRA MAIA, DUDIMAR PAXIUBA
 Um dos maiores sonhos dos aveirenses será a liberdade para um possível desenvolvimento sustentável de uma população que vive sofrendo sem esgoto, água potável, estrada, saneamento básico, saúde pública de qualidade e a falta de extrutura fisíca na cidade.
Liberdade esta, que muitas das vezes, politiqueiros chegavam a usar a liberdade da FLONA, para fins políticos, a fim de conquistar o eleitor para obter vantagens.
Os interesseiros já tinham conhecimento que o eleitor ficaria cheio de esperanças, pois, o IBAMA, também alimentava essa idéia de que a cidade poderia ser liberada da FLONA.
Vários prefeitos realizaram varias reuniões com IBAMA, para se fazer um estudo para que viessem a mobilizar a população, entidades e a sociedade organizada todas unidas pudessem conquistar essa liberdade, que a cada dia parecia  ficar mais distantes da população que sofre a 38 anos.
De meu conhecimento teve um trabalho incansável do ex-deputado federal Nícias Ribeiro, que também lutou bastante e não obteve sucesso, mais, se a memória não me engana Nícias Ribeiro, foi um dos defensores da liberdade do povo de Aveiro, com a saída da FLONA da cidade.
Hoje, com a aprovação  da MP nº558, acredita-se que Presidente Dilma possa sancionar a lei e a festa possa ser de todos. Porque daí poderá conquistar essa liberdade que nunca existiu.
Os pequenos criadores de gado, só poderiam criar 10 cabeças por pessoa, não podiam vender seu terreno para ir embora, em buscar de emprego e uma vida melhor. Ressalta-se que ninguém era dono de nada, porque tudo pertence à União. Era um povo que nunca saberia se amanhã todos seriam indenizados e remanejados para outro local.
            Portanto a população ficou de olho na TV Câmara, e a população da cidade e ribeirinhos todos ligados ouviram  na Rádio Comunitária Tropical-FM 87,9 MHZ com transmissão ao vivo para os ouvintes que naquele momento não tinham energia elétrica na sua comunidade.
  Quem esteve no interior da Câmara Federal foi o prefeito de Aveiro Ranilson do Prado, os deputados Lira Maia, Zé Geraldo autor da MP.
Esse momento seria importante para todos os vereadores que poderiam estar naquele momento da votação com faixas unidos, fazendo pressão para que festa ficasse marcada nos anais deste município.
Viva a liberdade, 38 anos dentro da prisão. Sou a favor da preservação do meio ambiente, mais nunca dentro de uma cidade que já existia. Como aveirense,conhecedor do sofrimento desse povo Parabenizo todos os Deputado Federal Zé Geraldo pelo luta e pela autoria da Projeto da Medida Provisória 558,com aval dos colegas deputado federal Lira Maia do DEM, e o apoio do deputado federal Dudimar Paxiuba  PSDB e outros deputados que reconheceram a importância da provação da PM 558.   
Por: Lúcio Costa  


    

sexta-feira, 11 de maio de 2012

AVEIRO TEM A PREFEITURA MAIS COBIÇADA DO BRASIL.


PREFEITURA TROCA MAIS DE COR DO QUE CAMELÃO DE VERÃO
Município Aveiro tem 238 anos de existência, e a população é de mais de 17.450 habitantes e com uma área geográfica de difícil acesso. Durante esses anos todos tivemos vários prefeitos, com intuito de melhoria e desenvolvimento sustentável.
Nos últimos tempos a prefeitura de Aveiro, virou noticias nas primeiras paginas de Jornais, TVs, Rádio e blogs com saídas e entradas de prefeitos cassados por desvios de recurso federal, compras de voto e abuso de poder econômico.
Aproxima-se mais uma eleição onde já existem vários pretensos candidatos a prefeitura de Aveiro. Alguns vêm com propósitos de resolver os problemas da Saúde, Educação, Agricultura, Saneamento, Água potável, construções dos prédios para servir as secretárias porque tudo é alugado.
Para está eleição já se apresentaram como pretensos pré-candidatos: Olinaldo da Silva (FUZICA) do PSC. Fernando Soares do PPS, Manoel de Jesus do PMN, Maria da Fé e o  advogado Eliezer Soares Sobrinho ambos  disputam uma vaga dentro do PMDB para ver quem representa o partido na majoritária e o atual prefeito de Aveiro Ranilson Araújo do Prado PR , que irá concorrer à reeleição.
Muitos querendo resolver os problemas de uma prefeitura com dívidas que se arrolam na justiça com valores que hoje se tornou impossível de pagar de uma só vez. Sem contar com outras dividas sendo contraídas e encargos sociais. Resumindo uma prefeitura com centenas de problemas que nem daqui a 10 de um mandato só não se resolve.
Os milhões de reais adentrados nesta prefeitura deveriam ser revestidos em benefícios a sociedade aveirense, pois, também a população se recente de bons legisladores. O descaso do poder público também é o reflexo da falta de representatividade legislativa e parlamentar que seja, transparente e atuante dentro de uma fiscalização rigorosa em prol a bem de todos , cabe aos vereadores dividir os erros do descoso público,com o poder executivo. 
Por: Lúcio Costa.


 
                     Município de Aveiro-Pará
HISTORIA DO MUNICÍPIO DE  AVEIRO
 A origem do Município de Aveiro remonta à época da formação de uma aldeia de índios Mundurucus, denominada Tapajós-Tapera, localizada à margem do rio Tapajós, com índios descidos do alto deste rio.

Essa aldeia alcançou grande progresso e obteve a denominação portuguesa de Lugar de Aveiro, por ato do governador e capitão- general José de Nápoles Tello de Menezes, em 23 de agosto de 1781, que nomeou, na mesma ocasião o morador Francisco Alves Nobre para administrá-la.

Pelos registros oficiais constatou-se a existência da freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Aveiro, antes de 1781, do que se conclui, portanto, que o ato de criação desse lugar foi somente uma confirmação, pois o local já era conhecido como Aveiro.

Também haviam, no local, mais duas freguesias a de São João Baptista de Brasiléia Legal e a de São José do Pinheiro. A primeira, Nossa Senhora da Conceição de Aveiro, passou do Período Colonial para a Independência, na condição de freguesia, quando teve seus limites definidos pela lei nº 511, de 1 de dezembro de 1866.

Em 1854 a freguesia de São João Batista de Brasiléia Legal passou à categoria de vila, passando a chamar-se Brasiléia Legal. Mas em 1856 perdeu àquela condição, passando a incorporar o município de Itaituba.

A Lei nº 1.152, de 4 de abril de 1883, desmembrou parte do município de Itaituba, para elevar a freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Aveiro à categoria de Município, com o topônimo de Aveiro, o qual, foi instalado, em 15 de maio de 1884.

Em 1930, Aveiro perde a condição de Município, sendo seu território incorporado ao de Santarém, com parte do distrito de Alter do Chão, conforme o Art. nº 2 do Decreto nº 6, de 4 de novembro.

Em 1961, através da Lei nº 2.460, de 29 de dezembro, o Município foi restaurado, compreendendo os antigos distritos de Aveiro e São José do Pinheiro, além de parte dos distritos de Boim e Belterra, pertencentes ao município de Santarém, do distrito de Brasília Legal, que fazia parte do município de Itaituba e parte do único distrito de Juruti. Em 1988, através da Lei nº 5.446, de 10 de maio, o município de Aveiro teve seu teritório desmembrado para a criação do município de Rurópolis.

Atualmente o Município está constituído dos distritos de Aveiro, Brasília Legal e Pinhel.

CULTURA DE AVEIRO
A festa da Santa padroeira, Nossa Senhora da Conceição, constitui a principal manifestação religiosa do município de Aveiro. Outras festas, porém, movimentam a população da cidade durante o ano. A festa de São José do Sagrado Coração de Jesus, a de São João Batista e a do Balão Vermelho, também fazem parte do calendário de eventos locais. As manifestações populares de Aveiro apresentam grande expressividade. Apesar disso, poucos são os grupos típicos existentes no município. Nesse aspecto, merecem destaque a Desfeiteira e Amazurra, apresentadas durante as festividades religiosas. Esses grupos, através de suas apresentações e indumentárias, preservam a cultura local. No artesanato de Aveiro, as principais peças produzidas são confeccionadas em barro, palha e madeira. As peças de caráter utilitário (panelas, vasos, chapéus e tipitis) ganham destaque. Apenas uma Biblioteca Pública promove a preservação e divulgação da cultura do Município.

ASPECTOS FÍSICOS - TERRITORIAIS LOCALIZAÇÃO

O município de Aveiro pertence á mesorregião Sudoeste Paraense e á microrregião Itaituba. A sede municipal, tem as seguintes coordenadas geográficas: 03º 36´15" S e 55º 19' 15" W Gr.

LIMITES

Ao Norte - Santarém, Juruti e Belterra A Leste - Santarém e Rurópolis Ao Sul - Rurópolis e Itaituba A Oeste - Estado do Amazonas

SOLOS

Os solos do município de Aveiro são constituídos, predominantemente, pelo Latossolo Amarelo distrófico, textura argilosa, Podzólico Vermelho- Amarelo textura argilosa, Podzólico Vermelho- Amarelo cascalhento textura argilosa, pequenas manchas de Latossolo Vermelho- Amarelo distrófico textura argilosa, terra roxa Estruturada eutrófico textura argilosa, e Hidromórficos gleizados eutróficos e aluvial distrófico, ambos com textura indiscriminados.

VEGETAÇÃO

A maior parte do Município é recoberta pela Floresta Densa com emergentes, nas margens do rio Cupari. Em áreas isoladas, ocorre a Floresta Aberta mista (com palmeiras). Ao longo das margens do rio Tapajós, onde existe influências de inundação, e nas ilhas predominam as Formações pioneiras e áreas de Tensão Ecológica onde a Floresta Densa se encontra com as Formações Pioneiras.

PATRIMÔNIO NATURAL

A alteração da cobertura vegetal, observada em imagens LANDSAT- TM, do ano de 1986, é de 3,64%. O município contém a área indígena Andirá-maraú, que abrange os Estados do Amazonas e Pará, sendo que neste último a área é de 465.868ha (4.658.68 km²) com partes também nos municípios de Itaituba e Juruti. Além disso, localiza-se em Aveiro o Parque Nacional da Amazônia, com área total de 994.000 ha ( 9.940km²), sendo no Estado do Pará 960.690 ha (9.606,90 km²), com a maior área no município de Itaituba. Possui igualmente, a Floresta Nacional do Tapajós, com 600.000ha. (6.000km²), dos quais pequenas partes estão nos municípios de Santarém e Rurópolis.

TOPOGRAFIA
Na sede, a altitude regula, aproximadamente, 40 metros. Para o sul, a topografia se torna mais expressiva alcançando mais de 230 metros, nas áreas paleozóicas da Bacia do Amazonas

GEOLOGIA E RELEVO

A geologia no município de Aveiro é representada predominantemente pelos sedimentos terciários da Formação Barreiras constituída de arenitos, argilitos caulinícos e siltitos e subordinadamente, ao sul do Município, pelos sedimentos paleozóicos da Bacia do Amazonas, onde despontam o Grupo Urapadi, com as formações Trombetas - siluriano, Maecuru (Devoniano Inferior) e Ererê (Devoniano Médio). Formação Curuá (Devoniano Superior) e o Grupo Tapajós, com as formações Monte Alegre (Carbonífero Inferior) e Nova Olinda (Carbonífero Superior). Estão presentes ainda, manchas de rochas básicas de mesozóica, que correspondem ao Diabásio Penatecaua. Recobrindo toda essa seqüência, estão os sedimentos inconsolidados do Quaternário Subatual e Recente, localizados nas margens dos rios. Acompanhando a geologia, o relevo possui áreas em colinas, planaltos tabulares, baixos platôs, amazônicos, terraços e várzeas que morfoestruturalmente correspondem ao Planalto Rebaixado da Amazônia - Médio Amazonas.

HIDROGRAFIA

A hidrografia no município de Aveiro é representada, prioritariamente, pelo rio Tapajós que faz limite parcial ao sul com Rurópolis, em parte de seu médio e baixo curso. O Tapajós recebe em ambas as margens, uma série de afluentes inexpressivos. Na margem direita está localizado o mais importante, o rio Capuri, no seu baixo curso que serve de limite parcial a Sudoeste com Rurópolis. É na margem direita que está situada a sede do Município. Pela margem esquerda o Tapajós recebe alguns igarapés como: Parone, Açú, Arara e igarapé Furo do Custódio, limite com Itaituba. No centro e a oeste, destacam-se as nascentes dos rios Andirá, Mamurú e Arapiuns.

CLIMA

As características climáticas do Município não diferem muito das de sua região. A temperatura do ar é sempre elevada, com média anual de 25,6ºc e valores médios para a máxima de 31ºc e, para a mínima de 22,5ºc. Quanto à unidade relativa, apresenta valores acima de 80%, em quase todos os meses do ano. A pluviosidade aproxima-se dos 2.000mm anuais, porém é um tanto irregular, durante o ano. As estações chuvosas coincidem com os meses de dezembro-junho e, as menos chuvosas, de julho-novembro. O tipo climático da região é o Ami que se traduz como um clima cuja média mensal de temperatura mínima é superior a 18ºc. Tem uma estação seca de pequena duração e amplitude térmica inferior a 5ºc entre as médias do mês mais quente e do mês menos quente. O excedente de água do solo, segundo o balanço hídrico, corresponde aos meses de fevereiro-julho, com um excedente de mais de 750mm, sendo março o mês de maior índice. A deficiência de água se intensifica entre agosto-dezembro, sendo setembro o mês de carência, ao se constatarem menos de 90mm. 
VAMOS RESGATAR A VERDADEIRA HISTORIA DO  MUNICÍPIO DE AVEIRO,MANDE O QUE VOCÊ SABE PARA : lucio.aveiro@hotmail.com





 

 
.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

CÂMARA FEDERAL ADIA PARA HOJE A LEITURA DE 500 PÁGINAS DA MP 558.

DEPUTADO FEDERAL DUDIMAR PAXIUBA- A FAVOR -PSDB
DEPUTADO FEDERAL LIRA MAIA DEMOCRATA- A FAVOR.
DEPUTADO ZÉ GERALDO- AUTOR DA MP 558
Ontem à tarde e noite na Câmara dos deputados federais de todo Brasil estiveram reunidos em Sessão Ordinária para aprovação de Projetos importantes para os plantadores de cana e a provação de um projeto que os bancos poderiam liberar para os pequenos e micro-empresários deficientes uma linha credito.
Após muita discussão foram retiradas de pauta de votação para dar lugar a MP 558 que acabou sendo muito questionadas por deputados paulistas, que não aceitam a retirada de alguns parques de preservação ambiental.
O que me causou surpresa foi o deputado federal Arnaldo Jordy que disse ser contrário a retirada dos parques da Flona tapajós e porque não dizer contra a saída da cidade de Aveiro, uma vez, que ele precisaria estudar melhor o projeto de lei que existem mais de 500 páginas.
O Deputado foi infeliz quando se pronunciou contra a retirada das equitárias dos parques de conservação ambiental e uma delas é a cidade de Aveiro, e ele o deputado Jordy já esteve por várias vezes em busca de votos. Deputado me perdoe, mais, o senhor deveria pensar que o senhor mora em Belém, a onde tem tudo a sua porta.  
Segundo o autor da medida provisória deputado federal Zé Geraldo, que ele não fez sozinho esses estudos, que realizou com CM- BIO e que garantia ao deputado Zequinha do PV filho de Sarney que os estudos foram aprofundados e que eles não iriam se arrepender aprovando a retirada da FLona,principalmente para libertar o povo de Aveiro.
Já o deputado federal Dudimar Paxiuba PSDB, falou da importância que tem aprovação da MP 558 para os municípios que estão dentro da Flona Itaituba 01 e Itaituba 02, Aveiro que necessita muito ficar livre da Flona e as demais localidades, e que terá o seu apoio total.
Deputado Lira Maia do Democrata, falou ter conhecimento da MP de autoria do deputado Zé Geraldo, que não ver a hora de ver uma cidade do seu Estado livre da Flona, que é a cidade de Aveiro-Pará,que precisa receber investimentos do governo federal e que ele há seis meses vem ajudando o deputado Zé Geraldo nessa questão.
Por volta de 20h00min horas encerrou a sessão da Câmara dos Deputados Federais, e a presidente adiou para hoje dia 10/05 a leitura do MP e aprovação para terça-feira dia 15/05

quinta-feira, 3 de maio de 2012

PESCADOR DIZ QUE ESTAVA FALTANDO SEIS MALHADEIRAS DE PESCA.


Secretário a companhado da ´Polícia Militar para dar segurança.

Redes de pescaria apreendidas
Os Isopores com peixes que foram apreendidos
 Mês passado a equipe da fiscalização ambiental do município de Aveiro, através do secretário Sr.Dangelo juntamente com outros ficais apreenderam uma embarcação com mais de meia tonelada de pescado as proximidades da cidade. Dentro se encontrava várias redes de pescas e isopores abarrotados de peixes. Peixes estes que não estavam mais no período do defeso.
Na ultima quarta-feira Raimundo um dos pescadores, veio a cidade de Aveiro, mais precisamente na Secretária de Mineração e Meio Ambiente, para reaver seus materiais de pesca apreendidos. Segundo informações prestadas á Rádio Comunitária Tropical-FM, ele ficou surpreso porque faltavam seis redes de pesca e ele encontrou isopor de armazenar os peixes estava quebrado.
SECRETÁRIO DO MEIO AMBIENTE DANGELO ASSUME A RESPONSABILIDADE
A nossa reportagem entrou em contato com o secretário de Mineração e Meio Ambiente Senhor D’angelo, que explicou o sumiço das malhadeiras. Segundo informações prestadas por telefone, ele falou que: ‘’Ele pessoa do D’angelo e Demetrio Filho assumiram a responsabilidade do sumiço das redes, entraram em acordo com o  pescador Raimundo para pagar as redes de pesca que estão faltando, e não se eximir das responsabilidade,mais, praticamente foi solucionado esse questão”.
O Secretário falou que a Secretaria não tem autonomia de multar e por falta de um delegado no prédio da delegacia local, ficou inviável de se manter o flagrante e agir dentro da lei. E que, por esse motivo a secretaria estaria fazendo a liberação desse material ao pescador que se tornaria fiel depositário dos materiais de pesca que foram recolhidos na secretaria de Mineração e Meio Ambiente. Caso o Ministério Público se manifeste com relação aos materiais o pescador escolhidos terá que dá conta. Ele finalizou dizendo que o desaparecimento das redes, deu-se porque na secretaria não tem vigia. Ou seja, para melhor entender, as malhadeiras foram roubadas de dentro da secretaria.
D’angelo agradeceu o pessoal da Capitania dos Portos de Santarém que atendeu o chamado da secretaria para ver e verificar a documentação da embarcação apreendida, que foi constatado que estava irregular e nem os pescadores não tinham documentos que comprovassem que eram realmente pescadores artesanais. Mas, que os procedimentos foram legais assim finalizou D’angelo o secretario de Mineração e Meio Ambiente.