terça-feira, 29 de outubro de 2013








                    POVO DE AVEIRO SAI AS RUAS PARA REIVINDICAR SEUS DIREITOS.
 MANIFESTANTES  A FRENTE DA PREFEITURA DE AVEIRO

MANIFESTANTES COMERCIANTES NA CÂMARA MUNICIPAL DE AVEIRO.
 Mais um dia histórico no município de Aveiro, quando o povo saiu as ruas para reivindicar seus direitos constitucionais, fazendo passeata democrática, com cartazes e faixas e carro volante.
Muitos ainda tem medo de mostrar o rosto diante dos puxa saco que são pagos para entregar as pessoas que são servidores para serem reprimidos pela ditadura, e isso a gente não pode falar nada contra o gestor porque ele ainda agiu dessa forma.
A passeata saiu pelas principais ruas da cidade, onde  alguns moradores saíram de suas casas de carro e a pé acompanharam a manifestação até a prefeitura municipal,  onde  os manifestantes gritaram “Queremos o prefeito, queremos o prefeito” outras pessoas gritavam queremos respeito com o povo.
Na prefeitura somente estavam os auxiliares e o chefe de Gabinete Arildo Mota, que ouviu e observou os manifestantes e se retirou da prefeitura, não se encontrava o prefeito Olinaldo Barbosa e o vice-prefeito Luciano de Sousa Nascimento.
A população presente cobrou mais respeito com dinheiro o público, merenda escolar nas escolas que não existe, medicamentos e profissionais nos postos de saúde, restauração e ampliações de postos de saúde a onde os preços não são compatíveis com a obra que está sendo realizada por encarregados.
Depois das tantas lamentações e gritos de mais respeito com dinheiro do povo a passeata seguiu até a Câmara Municipal a encontrou dois vereadores, Antônio Paulo e Vânia Felix. Os manifestantes cobraram  posição dos dois vereadores  explicações dos edis, da falta de merenda escolar e o fechamento do caixa aqui   da Caixa Econômica.
Os vereadores responderam que não concordam com a situação que se encontra o município de Aveiro. Já o vereador Antonio Paulo falou que o povo precisa apresentar denúncia na câmara para que os vereadores aprovem, porque quando eles apresentam eles perdem o direito de voto.
Estiveram presentes vários representantes de entidades que estão indignados com a situação que se encontra o município, onde as comunidades estão às escuras, por falta de combustível para os motores que geram energias para os comunitários.
Já está marcado para dia 15 de novembro; mais uma manifestação contra os descaso do poder público e também poder reivindicar melhorias para todos os setores, saúde, educação, agricultura, estrutura física da cidade e também cobrar uma posição do ministério público estadual  o resultado da venda da madeira
.
   EDITOR: PEDIDO DESCULPAS  PARA VEREADOR  PAULO HENRIQUE.
A Matéria divulgada neste blog a cima citado vereador Paulo Henrique, confirmada pelo prima do vereador por sofrer de pressão alta, e diante do telefone este repórter comprovou o que colega que estava no momento me confirmou o que está escrito acima do vereador.
Na sessão anterior o referido vereador chamou este repórter de mentiroso e  que o primo de CLÁUDIA, não tinha feito essa ´proposta. Mas, se solicitar a gravação da operadora TIM, lá podemos conferir a verdade, que a CLÁUDIA ao ser interrogada sobre a veracidade dos fatos ela me confirma que sim.
Para não levar o assunto adiante e para não causar danos a saúde de Cláudia Alvorêdo, eu estou pedindo desculpas por que a senhora Cláudia disse depois que não aconteceu dessa forma,mais que ele o vereador Paulo Henrique esteve em sua residência pedindo que desistisse da passeata por que Cláudia e o Marido poderiam se prejudicar e nesse governo não iram conseguir empregos. São palavras de Cláudia. Repito mais uma vez, telefone e pessoas que ouviram são minhas testemunhas da confirmação de Cláudia, nada foi inventado vereador.


sexta-feira, 18 de outubro de 2013








CIDADE SEM LEI


232 ANOS DE CIDADE E AINDA NÃO TEM ÁGUA POTÁVEL.
MUITA GRANA ENTRA NOS COFRES PÚBLICOS E QUE NÃO SABE ADMINISTRAR.

As notícias que vimos e ouvimos  através dos jornais sérios, em rede nacionais, deparamos com cidades pequenas que tem de tudo que uma cidade pode  possuir, aonde possuem fórum, cartório eleitoral, juízes, promotores, delegados, delegacias, policiais militares para prestar segurança. As mentiras de campanhas continuam dizendo que muitas coisas serão resolvidas e uma das promessas é a água potável,pois, muitos valores adentram nessa prefeitura e a falta de respeito com povo aveirense é notório.
Aqui(Aveiro) tudo é ao contrário, pois, nada tem, porque a população depende de tudo de outras cidades próximas, na cidade de Itaituba ficam os bancos, para aonde vai todos os recursos estaduais e federais e mais, lá funciona o fórum e o cartório eleitoral, como lá também fica o delegado que responde pela Depol de Aveiro.
Muitas coisas acontecem no município de Aveiro e ninguém toma nenhuma providência, crimes são cometidos e a maioria dos crimes fica impunes por falta de um delegado que possa fazer ou realizar os procedimentos legais.
Prefeitos são cassados por várias acusações, alguns sofrem a perseguição das ações impetradas contra seus crimes cometidos contra o povo aveirense, alguns enriquecem sem que sejam incomodados pela Receita Federal que não busca verificar nas contas bancárias a procedências dos valores realizadas com casas, terrenos, gados, campos, bois, barcos e lanchas. É uma justiça falha contra pessoas que se apoderam de valores do povo através de várias maneiras .
O Município de Aveiro está nas manchetes de jornais, quando o gestor paga a imprensa marrom para mentir e mostrar a uma outra realidade diferente daquelas que o povo convive todos os dias.
Falta de prédios próprios para servir de  secretarias e,  da mesma forma usadas por ex-prefeitos, são usadas por governos que entram, se espelhando num espelho que serve para os interesses próprios de famílias e interesses de politiqueiros. 
A falta da presença do Ministério Público no município de Aveiro poderia coibir certos abusos de poder econômicos, descaso do poder público na área da educação, saúde, a falta de merenda escolar, falta de medicamentos para os hipertensos,  cadernal para epilepsia e outros   que nunca  estão a disposição das pessoas que precisam.
São muitas as  mazelas cometidas contra o povo de Aveiro, que se for enumerá-las não haverá espaços para outras matérias, porque os descasos continuam cometidos contra a população de Aveiro.
VEREADORES AVEIRENSES QUE JUNTOS LUTAM PARA QUE HAJA JUSTIÇA NA VENDA DA MADEIRA

 
128 CAMINHÕES DE MADEIRA SE REDUZIU A RIPAS, PERNAMANCAS E TÁBUAS CHEIA  DE BROCAS
MADEIRA NA RESPONSABILIDADE DA PREFEITURA  PEÇA DE PROCESSO DO IBAMA
                            MADEIREIRA RECEBE MULTA NO VALOR DE R$ 370.000,00 MIL REAIS.
Informações do  vereador Antônio Paulo, que a madeira que veio para Aveiro, ela veio sem  a documentação de transporte da madeira, vindo apenas com documento chamado romaneio e que passou por todas as fiscalizações até a cidade.
Ao chegar a Aveiro foi descarregado rapidamente pela parte da noite e deixada na praia em frente a cidade. Questionadas pelos vereadores Antônio Paulo e Raimundo Ronilson e Ulisses Franco, sobre as procedências e a legalidade da madeira, foi solicitado pelos vereadores uma fiscalização do IBAMA, que verificou toda madeira, mediu, colheu amostras para exames e também lavrou o alto de multa que segundo vereador Antônio Paulo chega a um montante de R$ 370.000,00 mil reais e ainda fechou a madeireira.
Matérias  veiculadas em um determinado meio de comunicação que recebe matérias pagas, disse que o problema da madeira estava resolvido. Muito pelo contrário   agora que os problemas aumentaram, e a madeira que veio a prefeitura não podem usar e apenas ficou na custódia da prefeitura para colocar vigias.
Com a vinda dessa madeira que não foram planejadas para ser usadas pela prefeitura  municipal , porque a maioria servem para realizar algum tipo de trabalho.  O lote de empilhadas de madeiras estão aos cuidados da prefeitura, que caso mãos seja resolvido a sua situação tudo se perderá com a enchente.
Agora os responsáveis pela venda da madeira segundo vereadores, eles sofreram sansões cabíveis da justiça federal e serão responsabilizados todos os envolvidos. Por tanto, nada foi resolvido  e sim veio confirmar a ilegalidade dos fatos citados pelos vereadores.
A comissão de moradores do Município de Aveiro, criada para lutar pelos interesse coletivo da sociedade, vai aguardar soluções e a presentação de documentos protocolado pelo Ministério Público Federal do recebimento da denuncia formulada contra os responsáveis pela venda da madeira que foi doadas em toras para o município de Aveiro. 
Caso não apareça essa comissão irá para frente do Ministério Público Federal, até que o delegado possa receber a comissão que irá solicitar medidas cabíveis para as pessoas que foram responsável pela venda dessa madeira.
 


terça-feira, 15 de outubro de 2013

 

 

PREFEITOS DO OESTE DO PARÁ ASSINAM TAC, EM DEFESA DA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA.‏

A partir da segunda quinzena de outubro, a Universidade Federal do Pará (UFPA), por meio da Comissão de Regularização Fundiária, continua o processo de coleta dos documentos que sinalizam o quantitativo populacional, de lotes e o número de hectares de terras que foram transferidos pelo Programa Terra Legal, por meio do Ministério das Cidades, para os municípios de Uruará, Trairão, Mojuí dos Campos, Aveiro, Placas, Rurópolis e Novo Progresso, com base na Lei Federal nº 11.952, de 2009, que dispõe sobre a regularização fundiária urbana na Amazônia Legal.

A decisão foi tomada durante a assinatura do termo de aceite de concordância entre a universidade e os sete prefeitos municipais, ocorrida no último dia 9 de outubro, no Hotel Presidente Médici, em Rurópolis. O levantamento permitirá a consolidação de um plano de trabalho para regularizar as moradias, centros comunitários e pequenos comércios nestes municípios, pelo Projeto Moradia Cidadã-Polo Oeste do Pará

Myrian Cardoso, coordenadora Técnica Operacional da Comissão de Regularização Fundiária da UFPA, informa que dados coletados até a assinatura do termo revelam que as sedes das prefeituras de Novo Progresso, Placas, Trairão e Uruará já registraram em cartório os títulos com o número de hectares, lotes e a população residente nessas cidades. Os dados são de 2007 e foram trabalhados pelo do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) e pelo Programa Terra Legal.

DESAFIOS - Falta consolidar os números em algumas áreas que ainda estão em processo de doação nos demais municípios. “São desafios naturais para se formatar o plano de trabalho de regularização fundiária. Além disso, os dados ajudarão no levantamento sobre a realidade socioeconômica e permitirão verificar a acessibilidade e a infraestrutura operacional para o deslocamento das equipes entre as cidades. Podemos avançar ainda com o acesso aos dados sistematizados pelos Agentes Comunitários de Saúde (ACS), que realizam um ciclo de cinco visitas/ano às residências das cidades ou com o acesso às informações das plantas das quadras que ficam em poder do setor de tributos de cada município”, sinaliza Myrian.

Durante a assinatura do termo, os sete prefeitos municipais, ligados à Associação dos Municípios da Transamazônica e Santarém-Cuiabá e Região Oeste do Pará (AMUT), assumiram o compromisso de instalar um escritório local com sala, equipamentos e internet, designar dois técnicos municipais das áreas social e territorial de cada prefeitura para dar suporte ao processo de mobilização comunitária e com a realização de audiências públicas. Garantirão, ainda, o apoio logístico para a realização da topografia e respaldarão os trâmites jurídicos e administrativos para emissão, assinatura e publicação dos títulos, entre outros compromissos.

C0NHECIMENTO- Outro ponto importante foi o início da parceria da UFPA com a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), por meio do Instituto de Biodiversidade e Floresta, no qual os engenheiros florestais Everton Almeida e Breno Rayol aceitaram participar da coordenação regional da regularização no Polo Oeste do Pará. “Compartilhar o conhecimento e descentralizar a responsabilidade com a universidade significa multiplicar a capacitação de outros agentes públicos e fortalecer o processo de regularização fundiária no Pará”, destaca Myrian.

RESGATE SOCIAL – O presidente da Associação dos Municípios da Transamazônica (AMUT) e prefeito de Uruará, Everton Banha, avaliou que a assinatura do termo representa um resgate social para milhares de famílias que foram estimuladas a ocupar as terras na Região Amazônia e não tiveram um respaldo permanente e justo. “O resgate social começa com a regularização do lote, da moradia e a titulação. Isso garantirá a segurança jurídica e permitirá o acesso a crédito para promover melhorias em suas casas”, analisa.

Para ele, a parceria com as universidades será fundamental para consolidar este resgate social e somará significativamente com as melhorias do asfaltamento das rodovias Transamazônica, Santarém-Cuiabá e a construção da Usina de Belo Monte, entre outros investimentos regionais. “Estamos resgatando um sonho de 40 anos de milhares de famílias e alavancando o desenvolvimento da região com a regularização fundiária, a partir da formulação de um crescimento planejado de cada cidade e com a participação da comunidade”, assinala.

O vice-prefeito de Rurópolis, Anésio Coelho, afirma que a parceria entre a UFPA, a Ufopa e as prefeituras resultará em uma ampla integração do poder público com a sociedade. “Haverá o intercâmbio de conhecimento para o fortalecimento das prefeituras municipais por meio de assistência técnica e a execução de estudos especializados, além de elas darem suporte para implementar o desenvolvimento de cada município com os benefícios da regularização para o Oeste do Pará”, finaliza.

 

quarta-feira, 9 de outubro de 2013







                            ASSASSINADO NO RIO CUPARI DEIXA MORADORES REVOLTADOS.

vitima PEDRO PARINTINS MARQUES
 
POPULARES AGUARDANDO A CHEGADA DA VITIMA NO PORTO DA CIDADE.


BARQUINHO QUE CONDUZIU A VITIMA NA CANOA QUE FOI ASSASSINADO.
 No inicio da tarde do dia 08 de outubro de 2013, foi vitima se covardia o cidadão Pedro Parintins Marques, 52 anos, pescador artesanal,  separado da esposa e 5 filhos atualmente vivia sozinho  mais na sua atividade da pesca na região do Cupari.
O acusado é   Patrício de Oliveira de Araújo, conhecido na cidade de Aveiro por  (Caleb), aproximadamente 38 anos,  que sem pena e nem piedade matou com um tiro de espingarda calibre  20,  segundo laudo pericial do médico Jhon Gonzales. A vitima não teve chance de reagir e muito menos de se defender, a vitima  recebeu o tiro covardemente por traz bem próximo a nuca.
Pedro do Juvelino como era conhecido, quando pescava costumava pescar na região do rio cupari por que é local que na sua linguagem é lugar de muitos lagos e que dá peixes grande como tambaqui e grandes pirarucu. Pedro Parintins tinha muitos amigos e nunca inimigos
A nossa reportagem colheu algumas informações na chegada do  corpo a cidade e as informações é que o fato aconteceu na manhã do dia 07 de Outubro, por volta de 10:00 hs da manhã, pois, moradores ouviram um tiro, mais ninguém foi olhar, para ver o que tinha acontecido.
Relatos do senhor  Vicente  Nobre, é só foi descoberto por que um menino viu o acusado empurrar a canoa da vitima par o gapó, mais o menino não viu se tinha alguém dentro da canoa.
Sr. Vicente disse que o acusado esteve na casa do assassino quando este perguntou” Pedro não veio almoçar hoje”, mais o menino não lembrava que ele virá o Caleb empurrar a cano da vitima para o mato.
A noite o dito cidadão aparece na casa do senhor Vicente e diz” rapas o homem nem jantar ele veio hoje, ele tá bem´pescando” Foi após acusado sair em direção a sua casa, o menino falou que tinha visto Caleb empurrar a canoa do Pedro para dentro do igapó.
Pela parte da manhã foram procurar e realmente encontraram Pedro estirado dentro da canoa com muito sangue derramado e sem vida. Sr. Vicente foi ate a DEPOL, para informa a policia que tinham encontrado Pedro Parintins Marques dentro da sua canoa com um tiro de espingarda e que o acusado era Caleb.
Em conversa com o Cabo PM Ronaldo, que esteve no local em diligencia ainda chegou ver o acusado em deseperada carreira no rumo do rio cupari, o mesmo estava de posse da espingarda, que ao correr jogou a espngarda e se atirou dentro d’água e desapareceu dentro do igapó feio. A espingarda foi apreendida e trazida para delegacia que se encontra a disposição da justiça.
Pedro Parintins Marques, foi enterrado ainda na parte da noite já que ele tinha sido assassinado  mais de 24 horas , os familiares e sobrinhos não tiveram tempo de velar o corpo direito. A ex esposa e os cinco filhos que moram em paraopebas  não viram mais o seu pai com vida. A única irmã Maria Parintins Marques, que mora em Santarém, ainda pode acompanhar o enterro por volta de 19:45 minutos no cemitério local da cidade de Aveiro.