segunda-feira, 12 de agosto de 2013

 
 
 
 
07/06/2013 as 17h20min       864 pessoas já leram essa noticia

matéria retirada reproduzida do site do notapajós dia 12 de agosto de 2013, dão conta desta noticia. Essa noticia vem demonstrar que o IBAMA dou a madeira e a Prefeitura de Aveiro Pará

Ibama doa madeira ilegal apreendida na região do Curuatinga

Doa foi de mais de 4 mil metros cúbicos de madeira.
Ibama doa madeira ilegal apreendida na região do Curuatinga

Balsas com madeira ilegal doada Pará - Quatro balsas com 3,6 mil m³ de madeira em tora doados pelo Ibama à prefeitura de Aveiro (cerca de 180 caminhões cheios) atracaram nesta quinta-feira (6) em um porto de Moju, a 130 km de Belém, no Pará. As árvores centenárias, de espécies de alto valor econômico como angelim e maçaranduba, foram derrubadas por madeireiros ilegais na região do Curuatinga, no oeste do estado, e apreendidas no início do ano pelo instituto durante a Operação Onda Verde.
Uma quinta balsa flagrada no trajeto levando 500 m³ de madeira ilegal serrada (20 caminhões cheios) também foi conduzida a Moju. Agentes do Ibama de helicóptero haviam avistado a embarcação suspeita em Santa Maria do Uruará, mas ela fugiu antes de ser apreendida, sendo interceptada no domingo (2) pelos agentes na frota de Aveiro, no Rio Amazonas, nas proximidades de Almeirim. O dono da balsa foi autuado em R$ 150 mil e a madeira está em fase final de doação a um órgão público de Belém.
O carregamento das balsas contratadas pela prefeitura de Aveiro durou 15 dias, até que se completasse o recolhimento das toras espalhadas em locais de difícil acesso nas matas do Curuatinga. Em seguida, escoltada pelo Ibama e por homens do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), a frota viajou uma semana até chegar ao nordeste paraense, onde a madeira será serrada antes de retornar ao oeste do estado e ser, finalmente, aplicada em obras sociais.
De acordo com o secretário de Meio Ambiente de Aveiro, João Paiva, a empresa em Moju que beneficiará a madeira ofereceu melhores preços e condições de transporte ao município. "Ficou mais barato serrar aqui que em Santarém, porque em Aveiro não existem madeireiras em atividade", explicou ele, que estima que em três meses a madeira já esteja na sua região.
Segundo o plano apresentado pela secretaria ao Ibama, a madeira será utilizada para reformar escolas na zona rural; recuperar os trapiches de Aveiro e dos distritos de Fordlândia e Brasil Novo; construir uma sede para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, um clube de convivência para mães e um barracão comunitário.
A madeira doada a Aveiro é apenas parte dos 8 mil m³ de toras apreendidas pelo Ibama no Curuatinga. Cerca de 4 mil m³ ainda podem ser destinados a obras sociais em outras regiões. São habilitados a apresentar projetos para receber a madeira órgãos públicos e entidade sem fins lucrativos. O Ibama não oferece maquinário, mão de obra e transporte para a retirada de bens doados, cujos custos são de responsabilidade dos beneficiados.

Fonte: Ascom Ibama
 
Lendo está matéria observei que tudo que foi falado na tribuna da Câmara Municipal de Aveiro, realizado na terça-feira dia 06 de agosto quando vereadores afirmaram que ex-secretário João Paiva, é reu confesso pois, confessou a venda da madeira para uma madeireira no Muju.
Segundo assessoria do Ibama diz que foi apresentado um"Projeto", que seria para fazer o recuperar o trapiche de Aveiro, Fordlândia e Brasil Novo, veja bem, BRASIL NOVO! Aonde existe Brasil Novo no município de Aveiro ?.
 Amigos leitores reconheço meus erros gramaticais, mas, para aquelas pessoas que saibam interpretar vão entender que existem contradições das afirmações dos vereadores na tribunal do legislativo em Aveiro do dia 06 de agosto, quando existem pessoas que ouviram as confissões do ex-secretário João Paiva dos depósitos e valores em contas dele do funcionário e de um comerciante da cidade de Itaituba. 
Confissão feita a nossa reportagem por pessoas que ouvirão o relato do ex-secretário de Meio Ambiente João Paiva. Como explicar e desfazer a própria confissão perante prefeito,vice-prefeito, chefe de gabinete, e dois vereadores que fazem parte da comissão de investigação do caso da madeira o senhores Gilmar Lira e Antonio Paulo.
O que dizer a sociedade aveirense para tantos escândalos, por que escolhem Aveiro, para ser escape para desviar os benefícios que são de direitos a esse povo carente que sofre com pessoas desonestas. O que dizer ao um povo que mora em casebres de palhas, casas que deveriam ser dignas de famílias merecedoras de respeito por parte dos poderes públicos.   
 Pois, já existem investigações que já ouve outras doação do IBAMA, que nunca chegou no município de Aveiro, nunca ouve investigações para saber se essa ou aquela madeira doada chegou em Aveiro e serviu para beneficiar o povo aveiresnses. Que pena, que existam  pessoas égoistas usam o poder para massacrar o povo de Aveiro.