quinta-feira, 1 de setembro de 2011

VEREADOR ENCONTRA PROCESSO DA FALSA MEDICA E MOSTRA A REALIDADE PARA OS VEREADORES DA SITUAÇÃO.



CEGOS SÃO AQUELES QUE NÃO QUEREM ENXERGAR  A REALIDADE
PROQUE TUDO ACONTECE SOMENTE EM AVEIRO?

No fechamento das sessões do mês de agosto de 2011, foram realizados duas sessões, naqual participaram quase todos os edis. Segundo o vereador Aloizio Flávio de Sousa, ele tocou no assunto da suposta falsa medica,pois, ele não tinha em mãos o processo condenatório da referida mulher que brincou com a saúde humana de ser medica.
As vereadoras e os vereadores de oposição saíram em defesa da falsa medica, dizendo que ela iria voltar,porque ela tinha ido até o Estado da Paraíba,para resolver a pendências de sua documentação,pois, a vereadora Neide, garantia que ela era medica.
Na segunda sessão realizada na quarta-feira dia 28/08, ele de posse de vinte nove pagina do processo, o vereador Aloizio, disse que fez questão de ler em plenária, para que todos ouvissem, que a senhora Ana Lúcia Florência da Silva Simões, nunca foi medica formada por universidade nenhuma, pois,se tratava de uma falsária e que ela era ré confessa que de próprio punho tinha falsificada o diploma de conclusão de medicina realizada no Estado de Minas Gerais.
Vereador Aloizio, pediu que se apure para responsabilizar o culpados ou os culpados pela contratação de falsa medica,que atendeu centenas de pacientes e os quais por pouco não houve atestado de óbitos por receitar medicação errada. Aloizio fez uma pergunta a todos, porque vocês defendem o prefeito mais não defende a população. E porque vocês ficam passando para as pessoas, que a falsa medica e verdadeira enquanto no processo mostra uma condenação por falsidade do exercício ilegal da medicina. Segundo a pessoa que descobriu, deveria receber agradecimentos por fazer o seu papel de jornalista serio comprometido com a verdade, e não noticiar na imprensa paga, que as informações são duvidosas. Pois, os documentos mostram ao contrário. Aloizio finalizou dizendo, “ Estou envergonhado em não ter feito a minha parte de ter solicitado os antecedentes criminais e as informações necessárias para poder contratar uma pessoa que se diz o que não é”