terça-feira, 12 de abril de 2011

POPULAÇÃO PEDE COMARCA PARA CIDADE DE AVEIRO-PARÁ

Quase 231 anos,o município de Aveiro,já deveria ter uma Comarca do Poder Judiciário. As brigas pelo poder do dinheiro é muito grande. Os desmandos acontecem na cidade. A população aveirense não sabe o que é água tratada,não tem esgoto a cidade,não tem um hospital de respeito,não existe faculdade,não tem medico que possa trazer segurança a população,não temos médico do coração,médico que possa tratar de câncer da próstata.aqui não tem banco que possa libertar a economia da cidade de Itaituba,todos os recursos vem por Itaituba,a metade dos valores dos recurso do Governo Estadual e Federal é a traves do Banco do Brasil. Porque não dizer que 75% dos valores que vem para o município de Aveiro,gira na cidade de Itaituba. Haja vista,empréstimos bancários,a onde quase todos os funcionários,hoje estão atolados em empréstimos,existem funcionários que tem empréstimos nos dois bancos Caixa Económica e Bradesco,restando poucos valores em seus contra-chegues.
O Poder Judiciário,ajudaria a fiscalizar o dinheiro público,que entre para o município,porque quase dois milhões e meio é só do FUNDEB, que chega o repasse do FPM em quase um milhão e meio de reais. O povo não sabe para onde vai parar tanto dinheiro. A população não acredita, que todos esses valores são gastos com salários de funcionários. Pois,existem vereadores,que deveriam exercer o seu papel de legislador,mas,que na verdade eles fazem vista grossa e acabam com pactuando com os desmando,sem que eles cobrem a prestação de conta dos valores que entram neste município. Dos totais até hoje registrado no Portal Transparência,não condiz com que a cidade apresenta. Hoje,podemos observar as brigas para ser prefeito dessa cidade. Pois, pessoas que já foram cassados,pessoas que subtraíram dinheiro desse município,nunca sofreram qualquer punição em termos de devolução obrigatórias e muitos menos foram presas. A população acredita,que se tivesse Juiz e Promotor nessa cidade as coisas seriam diferentes.